Famílias deixam margem do Rio Itaqui e ganham nova vida
06-09-2011 16:22

Ninguém gostaria de conviver todos os dias com mau cheiro, umidade, água e principalmente sujeira dentro de casa. Dona Nolte Machado Tomazi, de 69 anos, passou 20 anos morando nestas condições de insalubridade, nas margens do Rio Itaqui, em São José dos Pinhais. Na metade do mês passado, a dona de casa foi beneficiada com o programa Vizinhança Solidária, da Prefeitura Municipal e pôde enfim, ter uma noite de sono tranquila.

O projeto tem como objetivo a relocação de 1.149 famílias que ocupam áreas de preservação ambiental ao longo do Rio Itaqui, nas regiões do Guatupê e da Borda do Campo. Com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), o Vizinhança Solidária prevê também o atendimento nas áreas de habitação, meio ambiente, infraestrutura urbana e desenvolvimento social. Os investimentos já têm sido aplicados em várias áreas, como saúde, educação e vias públicas.

A família de Dona Nolte foi uma das que recebeu o valor das indenizações para aquisição de novas moradias. Ao lado do companheiro Mário Tomazi e dos filhos, a família - vinda de Santa Catarina há anos - buscou com rapidez uma casa melhor, deixando para trás as dificuldades das margens do Itaqui. “Agora vejo em que sujeira vivíamos durante estes anos todos. Estava vendo a hora em que iríamos morrer infectados naquela casa”, disse Nolte, que pegou pneumonia três vezes nos últimos dois meses devido à umidade da antiga moradia.

As indenizações serão dadas às famílias registradas pela Prefeitura. Os moradores da margem do Rio Itaqui serão alojados em novos conjuntos residenciais – um no Guatupê e outro na Borda do Campo - e também em casas adquiridas pelos próprios indenizados, livrando estas famílias dos riscos de alagamento. “Estamos muito bem agora. Rezei e pedi tanto para encontrarmos um lugar bom para morar, porque realmente estava cansada de sofrer”, acrescentou a nova beneficiada, que continua morando no bairro Guatupê, mas em uma casa bem mais segura.

Longe da margem do Rio Itaqui, Dona Nolte quer ver também os antigos vizinhos em melhores condições. A dona de casa continuará confeccionando pães, doces e salgados, porém, para comercialização na nova vizinhança. “Muitas pessoas não dão valor ao que está sendo feito pela Prefeitura. Mas nós só temos a agradecer por tudo que fizeram pela nossa família”, concluiu.

Ana Rita Pugliesi, coordenadora da Prefeitura do trabalho social no Vizinhança Solidária, relata as dificuldades das famílias da região. “A situação de vida de todos ali é muito difícil, sem condição de segurança. A precariedade social e ambiental realmente é grande”, disse.

“Fico muito feliz de ver essas famílias indo para lugares melhores. Toda mudança de território é complicada até mesmo pela vizinhança consolidada que eles têm ali. Mas eles sabem que é uma mudança para melhor, e que eles não terão mais os fatores de risco que encaravam na beira do rio”, acrescentou Ana Rita.



Fotos: Sergio Sabino

Publicado: Comunicação Social da Prefeitura Municipal de São José dos Pinhais
POW INTERNET
POW INTERNET
POW INTERNET