Ciência e Tecnologia

Brasil e Vietnã poderão firmar parceria na produção de etanol
29-02-2008 14:24

Brasília - O Brasil pretende atuar em parceria com o Vietnã na produção de etanol. O protocolo de intenções foi firmado ontem (27), durante visita do visita do ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, ao Vietnã. O documento conjunto prevê a cooperação em técnicas de produção e uso de etanol combustível. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva deve visitar o Vietnã em meados deste ano.

Os dois países fixaram uma meta ambiciosa para as trocas comerciais: pretendem triplicar o comércio bilateral até 2010, passando de US$ 323 milhões anuais para US$ 1 bilhão. O Brasil está de olho nas oportunidades de uma economia que cresce a taxas de 8% ao ano e que ainda tenta se reerguer dos prejuízos da guerra com os Estados Unidos (de 1972 a 1986). Para o Brasil, o Vietnã pode ser também a porta de entrada para o gigantesco mercado asiático, de 2 bilhões de pessoas.

Infra-estrutura, aviação civil, produção de etanol, automação bancária e software estão no foco brasileiro, de acordo com o Itamaraty. Outros setores que interessam aos exportadores brasileiros são agronegócio e petroquímica. Ontem (27), os empresários que acompanham o chanceler Celso Amorim na viagem participaram de seminário sobre oportunidades de negócios no Vietnã – entre os presentes estavam exportadores de café e representantes das empreiteiras Andrade Gutierrez e Odebrecht. As possibilidades de parceria vêm sendo discutidas desde 2003 pelos dois países.

Brasil e Vietnã mantém relações diplomáticas desde 1989. Naquele ano, o intercâmbio comercial foi de US$ 16 milhões. Após anos de declínio, as trocas bilaterais se intensificaram a partir de 2002. Nos últimos cinco anos, o comércio bilateral cresceu sete vezes. As exportações brasileiras para o país asiático aumentaram em proporções ainda maiores: nove vezes, saltando de US$ 25 milhões para US$ 200 milhões em 2007.

Ainda assim, o Vietnã está longe de integrar a lista dos 10 principais parceiros comerciais brasileiros, liderada pelos Estados Unidos, Argentina e China. Para dar maior impulso às relações comerciais bilaterais, em 2006, foi aberto Escritório Comercial do Vietnã em São Paulo e, em 2007, instalada a Câmara de Comércio Brasil-Vietnã, no Rio de Janeiro.

Para impulsionar as relações em nível governamental, também ficou acertada durante a visita de Amorim a criação de uma comissão bilateral, que tratará de temas de interesse dos dois países. Segundo o Itamaraty, estão em negociação acordos nos campos de ciência e tecnologia, agricultura e esportes e há potencial de cooperação na construção de hidrelétricas, em siderurgia, na indústria alimentícia, no processamento de madeira e na aqüicultura.

Amorim aproveitou a visita para convidar o Vietnã a integrar o G20 – grupo de países em desenvolvimento, liderado por Brasil e Índia, que luta pela abertura dos mercados agrícolas e pela redução do apoio financeiro concedido pelos países ricos a seus agricultores. Juntos, os países do G20 concentram 70% da população agrícola mundial, respondem por 21% do PIB (Produto Interno Bruto) agrícola global e 26% das exportações agrícolas mundiais.



Mylena Fiori
Repórter da Agência Brasil
GUIASJP - Um serviço POW Internet
POW INTERNET
<

Nenhum item encontrado

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.