Cultura

Orquestra Sinfônica do Paraná comemora 30 anos
22-05-2015 16:44

A Orquestra Sinfônica do Paraná comemora 30 anos de existência na próxima quinta-feira (28). Sob a regência do maestro José Maria Florêncio e com a participação especial do oboísta Alex Klein, fará das apresentações em comemoração à data – uma neste domingo (24) e outra na quinta-feira (28), com a execução de obras de Tchaikovsky, Strauss e Sibelius. Criada em 1985, durante a gestão do governador José Richa, a orquestra é fruto da dedicação de músicos e gestores culturais que acreditaram na importância para o Estado de ter sua própria sinfônica.

Desde seu primeiro concerto, em 28 de maio de 1985, a Orquestra Sinfônica do Paraná coleciona muitas histórias e o reconhecimento do público e da crítica. São mais de 1.200 apresentações em diversas cidades brasileiras, além de quatro discos e um DVD gravados – este em parceria com a banda de rock curitibana Blindagem. Seu acervo possui 1.170 obras catalogadas e executadas nos mais diversos estilos, incluindo composições dos períodos clássico, romântico, barroco e contemporâneo.

“Estou muito orgulhosa por estar na diretoria neste ano tão especial para o orquestra. Quanto mais conhecemos a história desta sinfônica, as dificuldades que ela passou, mais a admiração cresce”, afirma a diretora-presidente do Centro Cultural Teatro Guaíra, Mônica Rischbieter. “Desde o seu primeiro dia, a sinfônica ensaia no Guaíra e não consigo imaginar o teatro sem a orquestra aqui dentro. Ela e o balé são a alma do Teatro Guaíra”, destaca Mônica.

FUNDAÇÃO – A violinista Eleni Bettes foi uma das responsáveis pela criação da orquestra. Na época, ela era coordenadora de Comunicação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura e também fez o concurso para compor o quadro da sinfônica. “Fizemos um trabalho de pesquisa para convencer o governador a criar a orquestra. Existia todo um clima para que isso acontecesse, uma mobilização dos músicos e o apoio do secretário da Cultura”, conta. “Precisávamos de uma orquestra sinfônica do Estado que estivesse dentro do Teatro Guaíra, que é a casa da música, da cultura e das linguagens artísticas do Paraná”, conta Eleni.

De acordo com a musicista, havia uma grande movimentação musical e cultural na Capital, com as oficinas de música e a Orquestra da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que facilitaram a criação da orquestra do Estado. “Tínhamos tantos músicos bons. A Escola de Música e Belas Artes do Paraná formava grandes profissionais que não tinham onde trabalhar”, explica. “Junto à Orquestra Sinfônica todo um mercado musical foi criado no Paraná. Muitos músicos se estabeleceram aqui e também houve um crescimento na área de luteria, que é o conserto e a fabricação de instrumentos”, destaca.

Eleni afirma que os momentos iniciais da orquestra sempre estarão em sua memória. Um deles, em especial, quase adiou o primeiro concerto: “No dia do ensaio geral, um martelo caiu da parte de cima do palco e atingiu um tímpano. Ele passou raspando no rosto do percussionista e furou o instrumento”, lembra a musicista. “Tínhamos apenas quatro tímpanos e não podíamos executar o concerto sem um deles. Então, me lembrei do maestro Gideon Martins, da orquestra da UFPR, que nos cedeu os instrumentos. Foi desesperador, mas no final deu tudo certo”, conta.

O flautista e presidente da Associação de Músicos da Orquestra Sinfônica do Paraná (Amosp), Sebastião Interlandi Junior, que está na orquestra desde a sua fundação, também se lembra de momentos marcantes. “No primeiro concerto, o governador José Richa chamou cada músico pelo nome para entrar no palco. Foi emocionante”, diz. “Quando entrei aqui nunca imaginei que ficaria por 30 anos. Fiquei e vi o crescimento da orquestra. O trabalho é sempre prazeroso e todos nós músicos estamos emocionados com esse aniversário”, afirma o flautista.

ÓPERAS E BALÉ – Além dos concertos, a orquestra participou de várias montagens do Balé Teatro Guaíra, como O Quebra-Nozes, de Tchaikovsky; Petruchka e Sagração da Primavera, de Stravinsky; e de produções de óperas como Carmen de Bizet, Fausto de Gonod, Aída de Verdi e Tosca e La Bohème, de Puccini, entre outras.

“As produções de ópera eram algo gigantesco, que mobilizavam cerca de 400 pessoas, entre músicos, atores e produtores. Quando encenamos Aída, havia até um elefante e dois cavalos no palco”, conta o produtor do Centro Cultural Teatro Guaíra Áldice Lopes.

Junto às grandes peças da música clássica, a Orquestra Sinfônica também se adaptou à música popular e procurou diversificar suas apresentações. Um dos momentos marcantes de sua história foi a gravação, em 2007, do DVD com a banda Blindagem, assim como os concertos para crianças e parcerias com grandes nomes da música popular brasileira.

CONCERTOS DE ANIVERSÁRIO – As duas apresentações que marcam os 30 anos da Orquestra Sinfônica do Paraná serão regidas pelo maestro José Maria Florêncio, titular da Capella Bydgostiensis, na Polônia. “Me sinto ligado à Orquestra Sinfônica do Paraná desde o início de sua história. Cheguei a encaminhar minha documentação para o primeiro concurso, mas na mesma época ganhei uma bolsa de estudos fora do País”, conta o maestro.

“Trinta anos de uma orquestra sinfônica no Brasil, que infelizmente não dá o devido valor à alta cultura, é um acontecimento grandioso. Só posso parabenizar os governadores do Paraná nesse período, os músicos e os gestores por manterem esse legado”, destaca José Maria.

Os espetáculos também contarão com o solo do premiado oboísta Alex Klein, vencedor de cinco prêmios Grammy. O programa é composto por três obras – “Eugene Onegin: Polonaise” de Tchaikovsky; “Concerto para oboé e pequena orquestra, em ré maior” de Strauss, com solo de Alex Klein, e a “Sinfonia nº 1, em mi menor, Op. 39” de Sibelius.

Além das apresentações, o produtor Áldice Lopes também está organizando uma exposição fotográfrica, que será aberta antes do concerto de quinta-feira (28) e que mostra a trajetória da orquestra nesses 30 anos. A mostra retrata momentos como a apresentação, junto com o Balé do Teatro Guaíra, nas Cataratas do Iguaçu, o concerto com o tenor José Carreras e diversas apresentações destas três décadas, além de contar com os programas dos primeiros concertos, ópera e balé.

"Vamos ressaltar grandes acontecimentos da orquestra, que foram muitos. São 30 anos de história e de memórias que se renovam a cada dia", explica Áldice. "A orquestra sinfônica é o nosso carro-chefe, um patrimônio de todos os paranaenses", ressalta Lopes.

Saiba mais sobre o trabalho do governo do Estado em:

www.facebook.com/governopr e www.pr.gov.br

Serviço

Concerto de Aniversário da Orquestra Sinfônica do Paraná

Datas: domingo (24/05), às 10h30, e quinta-feira (28/05), às 20h30

Local: Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto – Guairão

Regência: maestro José Maria Florêncio

Solista (oboé): Alex Klein

Ingressos: R$ 20,00


Agência Estadual de Notícias
GUIASJP - Um serviço POW Internet
<

Nenhum item encontrado

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.