Empresa

Greve dos Bancos: Paralisações crescem no Paraná no segundo dia de greve
09-10-2008 16:40

Nesta quinta feira, o movimento grevista ganha mais adesões em todo o Estado. 140 agências permaneceram fechadas no interior. Em Curitiba, foram 155 agências mais 11 centros administrativos. Nas bases sindicais da FETEC-CUT/PR (Federação dos Bancários da CUT) mais de 15 mil trabalhadores bancários estão em greve.

O número de agências paralisadas é significativo. “Começamos muito bem porque os trabalhadores bancários entenderam que é o momento de exigir melhores ganhos e valorização de pisos. Além da melhoria da PLR, que merecemos. Em Apucarana tivemos todas as agências paralisadas, o que mostra que nossa base está disposta a lutar por novas conquistas e pela garantia dos nossos direitos", afirma José Roberto Brasileiro, presidente do Sindicato de Apucarana e Região. “A tendência é aumentar ainda mais o movimento. Obtivemos uma liminar que garante o direito de greve também no Itaú, o que representa mais força para pressionar os bancos”, avalia João Antonio Silva Neto, dirigente do Sindicato de Londrina e Região.

Apesar da grande mobilização da categoria, a Fenaban (Federação dos sindicatos patronais dos Bancos) não manifestou interesse de agendar nova reunião ou apresentar nova proposta. “Estes dois dias de paralisação parecem não ter sido suficientes para que a Fenaban mostrasse interesse em negociar com os trabalhadores. A insatisfação da categoria está chegando ao limite. É só observar o crescimento expressivo de paralisações hoje”, avalia Roberto von der Osten, presidente da FETEC-CUT/PR e representante paranaense no Comando Nacional, que negocia diretamente com a Fenaban (Federação dos bancos). “Nós temos disposição para ouvir uma proposta. Mas enquanto isso, a greve cresce. Em breve vamos estar com 100% das agências paradas”, adverte Beto.

A categoria quer a retomada imediata das negociações com a Fenaban e a apresentação de uma nova proposta que atenda as suas reivindicações. A proposta dos banqueiros de reajuste de 7,5% foi rejeitada no final de setembro. Os bancários querem aumento de 13,23% (inflação do período mais 5% de ganho real), cálculo da PLR maior e simplificado, elevação dos pisos salariais, cesta-alimentação de R$ 415, fim das metas abusivas, combate ao assédio moral e melhores condições de saúde, segurança e trabalho, entre outras reivindicações.

Confira o panorama de Greve no PARANÁ

Apucarana e Região: 19 agências paralisadas,
Arapoti e Região: 11 agências paralisadas,
C. Mourão e Região: 10 agências paralisadas,
C. Procópio e Região: 12 agências paralisadas,
Curitiba e Região: 155 agências paralisadas
Londrina e Região: 46 agências paralisadas,
Paranavaí e Região: 18 agências paralisadas,
Umuarama e Região: 24 agências paralisadas,

Total: 295 agências + 11 Centros administrativos paralisados, totalizando aproximadamente 15800 bancários em GREVE


Por Isabela Medeiros - FETEC-CUT/PR
Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro do Estado do Paraná
GUIASJP - Um serviço POW Internet
<

Nenhum item encontrado

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.