Meio Ambiente

Parque Estadual do Monge, na Lapa, está sendo revitalizado pelo IAP
04-12-2008 16:25

O Parque Estadual do Monge, na Lapa (Região Metropolitana de Curitiba), está sendo revitalizado pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP). A idéia é devolver ao parque suas características originais com a eliminação de das árvores de pinus, readequar trilhas e vias de acessos e reformar as estruturas dos espaços de lazer. Na quarta-feira (03) o Conselho Gestor do parque reuniu-se para acompanhar o andamento dos trabalhos que deverão ser concluídos em um ano.

O presidente do IAP, Vitor Hugo Burko, explicou que a revitalização começou com a interdição de dois restaurantes que funcionavam dentro do parque em desacordo com a legislação ambiental. “Eles lançavam, de forma irregular, esgoto sobre a Escarpa Devoniana, que é a divisão entre o 1o e 2o planalto paranaense”, detalhou.

Segundo ele, os restaurantes estavam contaminando o lençol freático e prejudicando uma das principais atrações do parque, a Gruta do Monge, onde há uma bica muito procurada pelos visitantes que acreditam no poder milagroso de sua água. Atualmente a bica está interditada devido à contaminação provocada pelos estabelecimentos comerciais.

A próxima etapa dos trabalhos, que inicia em janeiro do próximo ano, será a retirada do pinus - espécie exóticas invasora - que ocupa quase 90 dos 370 hectares do parque. “Nesta semana já serão feitos os primeiros desbastes para instalar a infra-estrutura necessária para retirada das árvores”, comentou a responsável pelas Unidades de Conservação no escritório regional do IAP de Curitiba, Maria do Rocio Lacerda Rocha.

Ela explicou que a retirada do pinus faz parte do Programa Estadual de Erradicação de Espécies Exóticas Invasoras nas Unidades de Conservação, que o IAP desenvolve desde 2005. O programa visa prevenir e controlar a introdução no Paraná de espécies que não são típicas de um ambiente. Hoje em dia, as espécies exóticas invasoras já são a primeira causa de redução da biodiversidade no mundo, causando a extinção de espécies nativas, danos à saúde e à economia.

PARQUE - O Parque Estadual do Monge possui 370 hectares e foi criado em 1960 para preservar a natureza, promover a educação ambiental e ser um espaço de lazer para a população. A cada final de semana, a área recebe mais de mil visitantes. São pessoas atraídas pela Gruta do Monge, pela contemplação dos animais silvestres e da beleza cenário que se apresenta do alto da Escarpa.

O nome do parque foi dado em homenagem ao monge João Maria de Agostini, que habitou na região em 1847 e se dedicou ao estudo das plantas, fazendo orações públicas, medicando enfermos e realizando profecias.


Agência Estadual de Notícias
GUIASJP - Um serviço POW Internet
GUIASJP - Um serviço POW Internet