Maná da Segunda

Maná da Segunda - A Armadilha de Colocar Muito em Um Só Lugar



Por Rick Boxx

Você já ouviu a advertência contra “colocar todos os ovos em uma só cesta”?  Isto se aplica a muitas coisas na vida, especialmente no mundo dos negócios.  Quer isso diga respeito a um grande cliente de uma empresa comercial, ou a um único doador de uma entidade sem fins lucrativos, quando a fonte de renda provém significativamente de uma única fonte, sua organização está flertando com o perigo.  Se algo der errado nesse relacionamento, podem surgir grandes problemas. 

Pequenas empresas, algumas vezes, são abertas contando com uma única conta.  As coisas vão bem: as vendas são altas e o fluxo de caixa é estável, até que um dia, por qualquer motivo, aquela conta é perdida.  De repente, a fonte de renda que aparentava ser tão confiável se perde e começa a luta de todos pela sobrevivência.  

Outra armadilha de se depender demasiado de um único cliente está na influência que ele pode exercer. Sempre que a sua renda se torna abertamente dependente de um só cliente ou doador, você pode se sentir pressionado a fazer concessões pouco saudáveis para sua empresa.  Pode ser lisonjeiro contar com uma fonte que investe pesadamente no trabalho que você está fazendo.  Entretanto, também pode ocorrer a tentação de tomar decisões tendo como foco satisfazer aquela fonte, e não em permanecer fiel a sua missão, especialmente quando está em risco aquele relacionamento fundamental.

Qual a solução?  A resposta é muito simples: diversificação. Minha experiência – e peritos podem confirmar isso – diz que o melhor é procurar limitar qualquer cliente a 15% ou menos de sua renda total.  Pode ser difícil dizer “não”, especialmente quando existe potencial para um fluxo de renda realmente significativo.  Porém, determinar-se a “distribuir a riqueza”, desenvolvendo uma ampla variedade de fontes é melhor do que as consequências adversas que podem resultar da perda de um único cliente que concentra a maior parte da renda de sua empresa.  

Este é outro exemplo da grande sabedoria atemporal que encontramos na Bíblia.  O rei Salomão abordou esta questão em particular quando aconselhou:  

“Reparta o que você tem com sete, até mesmo com oito, pois você não sabe que desgraça poderá cair sobre a terra.” (Eclesiastes 11:2).  Outra tradução coloca isso da seguinte maneira: “Mas divida seus investimentos entre muitas posições, porque você não sabe os riscos que pode encontrar à frente.”

Existem outras razões para a diversificação no trabalho, bem como em nossas finanças.  Uma delas é o desejo, como embaixadores de Deus, de exercer um impacto amplo em nossa comunidade, em nossa cidade e até mesmo no mundo.  O salmista escreve sobre “...o homem que teme o Senhor e tem grande prazer em seus mandamentos!...O seu coração está seguro e nada temerá. No final, verá a derrota de seus adversários. Reparte generosamente com os pobres; a sua justiça dura para sempre...” (Salmos 112:1,8-9).  

Esta passagem fala especificamente sobre procurar satisfazer as necessidades dos desfavorecidos, mas o princípio permanece verdadeiro.  Podemos servir de modo mais eficiente – e sermos usados por Deus de maneiras mais frutíferas – quando diversificamos o uso do nosso tempo, energia e recursos.

O que nos traz à mente a parábola de Jesus acerca dos talentos em Mateus 25:14-30.  Ela fala sobre três indivíduos a quem seu senhor confiou recursos enquanto estava fora.  Dois dos servos sabiamente investiram o dinheiro e entregaram a seu senhor um retorno substancial.  O terceiro, simplesmente escondeu o que lhe tinha sido entregue e quando o seu senhor retornou para casa, ele não tinha nenhum rendimento a lhe apresentar.  Se quisermos crescer – tanto nos negócios, como no serviço a Deus – precisamos diversificar e nos fortalecer com o processo. 

Próxima semana tem mais!

Rick Boxx é presidente e fundador da "Integrity Resource Center", escritor internacionalmente reconhecido, conferencista, consultor empresarial, CPA, ex-executivo bancário e empresário. Adaptado, sob permissão, de "Momentos de Integridade com Rick Boxx", um comentário semanal acerca de integridade no mundo dos negócios, a partir da perspectiva cristã.  Tradução de Mércia Padovani. Revisão de Juan Nieto.

MANÁ DA SEGUNDA® é uma reflexão semanal do CBMC - Conectando Business e Mercado a Cristo, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2019 - DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL

Questões Para Reflexão ou Discussão  

1. A sua empresa tem um cliente ou doador que excede a todos os demais?  O que aconteceria se essa fonte de renda fosse perdida e não pudesse ser recuperada?  Qual o impacto no trabalho e serviços que você fornece?

2. Se, por outro lado, sua empresa não conta com uma única fonte de renda, isso se deve a uma decisão deliberada de diversificar os negócios?  É difícil manter tal compromisso?  Explique sua resposta.

3. Você procura diversificar seus investimentos ao invés de colocar todos os seus recursos onde parece ser mais produtivo? Por quê?

4. Aplicando esse princípio à esfera espiritual, quais seriam os benefícios – e potenciais deficiências – de diversificar nossos esforços para servir a Deus e àqueles que Ele envia em nosso caminho? 

 

Nota: Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Salmos 37:25-26; Provérbios 10:4; 12:24; 15:22; II Coríntios 9:6-9.


 


Veja mais Maná da Segunda

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.