Maná da Segunda

Maná da Segunda - Capacitando empregados a se desenvolver



Por Robert Tamasy


Max De Pree, empresário e escritor americano, escreveu diversos livros que provocam reflexões sérias, baseado em suas próprias experiências e observações do mercado de trabalho. Uma de suas afirmações que achei especialmente interessante é: “Líderes devem dar espaço às pessoas – espaço no sentido de liberdade. Liberdade que possibilite que nossos talentos sejam exercidos. Precisamos dar uns aos outros espaço para crescer, para sermos nós mesmos.”

Essa percepção é particularmente significativa para mim porque, cerca de 16 anos atrás, um amigo adotou essa atitude quando decidimos trabalhar juntos. Dave e eu nos conhecemos através de nosso envolvimento no CBMC, inclusive trabalhando juntos no quadro de funcionários. Pouco depois que ele começou seu próprio negócio sem fins lucrativos, o Leaders Legacy, eu sentia que era tempo de fazer algo novo. Assim, encontrei-me com Dave e solicitei seu conselho.

Depois de conversarmos durante algum tempo, pareceu-nos óbvio que trabalharmos juntos no Leaders Legacy poderia ser mutuamente benéfico. Jamais esquecerei o que Dave disse para mim naquela tarde: “Bob, se você precisar de um lugar onde possa florescer e se tornar tudo o que Deus quer que você seja, temos um lugar para você”.

Desde então tenho vivido uma carreira frutífera, desfrutando de muitas experiências recompensadoras tanto como escritor, quanto como editor. Esse convite, porém, prometia abrir portas que eu ainda tinha por explorar. E como se revelou, o meu tempo com a Leaders Legacy ao longo dos últimos 15 anos proporcionou muitas oportunidades novas, as quais, eu acredito, me capacitaram a prosperar profissionalmente.

A chave era simples. Permitiram-me, como De Pree escreveu, ter liberdade para exercer meus dons, talentos e experiência mais do que nunca. Em certo sentido, eu me sentia como um cavalo de corrida puro sangue quando o jóquei solta as rédeas e lhe dá permissão de correr livremente.

Eu não tenho queixas quanto aos meus empregadores anteriores; nem estou querendo louvar a mim mesmo de modo algum. Acontece que em muitas situações os trabalhadores não têm toda sua capacitação utilizada – às vezes, nem eles próprios as reconhecem. Geralmente é preciso que alguém – o CEO, o administrador, mesmo o supervisor - diga algo como: “Vejo muito potencial em você que ainda está intocado. Talvez nem mesmo você tenha consciência disso. Quero ajudá-lo a se tornar tudo o que pode vir a ser”. Você pode imaginar o quão liberador pode ser para um empregado valioso ouvir essas palavras?

Sob a perspectiva da Bíblia, adotar esse tipo de abordagem seria parte de “...Ame o seu próximo como a si mesmo...” (Marcos 12:31) e “Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.” (Lucas 6:31). Outra passagem, porém, aborda essa importante característica da liderança de maneira diferente. Provérbios 27:23-26 admoesta a todos que ocupam posições de autoridade – aqueles que têm responsabilidade sobre as pessoas que são confiadas à sua direção. O texto fala sobre ter discernimento, buscando estar sensível às necessidades daqueles que estão ao redor: “Esforce-se para saber bem como suas ovelhas estão, dê cuidadosa atenção aos seus rebanhos, pois as riquezas não duram para sempre, e nada garante que a coroa passe de uma geração a outra. Quando o feno for retirado, surgirem novos brotos e o capim das colinas for colhido, os cordeiros lhe fornecerão roupa, e os bodes lhe renderão o preço de um campo...”

Colocar o interesse daqueles que trabalham para nós em primeiro lugar, em muitos casos, também será de nosso próprio interesse.

Próxima semana tem mais!
Robert J. Tamasy, vice-presidente de comunicações da Leaders Legacy, corporação beneficente com sede em Atlanta. Geórgia, USA. Com mais de 30 anos de trabalho como jornalista, é c o-autor e editor de nove livros. Tradução de Mércia Padovani. Revisão de Juan Nieto .


Questões Para Reflexão ou Discussão


1. Descreva como é a cultura onde você trabalha. Os empregados são estimulados a crescer e florescer, utilizando seus talentos, dons e pontos fortes?

2. Você acha que dar aos empregados liberdade para explorar e desenvolver suas habilidades natas é importante para a satisfação no trabalho? Por quê?

3. Que desafios enfrentariam as empresas para proporcionar “espaço” - liberdade para se desenvolver – aos seus empregados?

4. O texto citado menciona rebanhos de ovelhas, usando uma analogia com o pastor para se lidar com pessoas. Você acha essa comparação apropriada para o ambiente de trabalho? Explique sua resposta.

Nota: Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Salmos 139:13-14; Efésios 2:10; Colossenses 3:17, 23; II Timóteo 3:16-17.

MANÁ DA SEGUNDA® é uma reflexão semanal do CBMC - Conectando Business e Mercado a Cristo, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2017 - DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL

 


Veja mais Maná da Segunda

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.