Maná da Segunda

Maná da Segunda - Escolher ou Recusar Beber o Cálice



Por Sergio Fortes

?Seja em nossa vida pessoal ou profissional, há momentos em que parece que nada funciona. Não importa o que façamos — tudo dá errado. Sentimo-nos como se tivéssemos chegado ao fim, seja em nossa carreira, na luta para alcançar um objetivo importante ou salvar um relacionamento valioso. Nossas mentes ficam sobrecarregadas com pensamentos negativos. Amigos e parentes próximos parecem distantes, deixando-nos cercados por sentimentos de solidão. A destruição pressentida parece ser apenas questão de tempo. 

Acreditamos que tudo o que importa, seja no mundo corporativo, nossas buscas pessoais ou mesmo em nossas vidas espirituais, é o sucesso. Se nossa história não é a de alguém bem-sucedido, só pode ser uma coisa: um fracasso. Infelizmente, ninguém está interessado no fracasso.

Em seu livro, “Here and Now” (lançado no Brasil com o título, Mosaicos do Presente), o escritor Henri Nouwen, destacado expoente da espiritualidade século passado, nos lembra que os episódios da vida se alternam, num fluxo e refluxo natural: alegria e tristeza, sucesso e fracasso, saúde e enfermidade, do mesmo modo que as estações do ano. A Bíblia tem muito a nos falar sobre essas estações. Na verdade, o Antigo Testamento afirma: “Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo para cada propósito debaixo do céu: tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de derrubar e tempo de construir”(Eclesiastes 3.1-8). 

Durante Seu tempo na terra, Jesus Cristo de Nazaré considerou os momentos de dor e fracasso como partes integrante de Sua vida. Falando a Pedro, um de Seus seguidores mais chegado, e o mais impulsivo, Ele o repreendeu na noite em que foi traído: “Guarde a espada!  Acaso não haverei de beber o cálice que o Pai Me deu?” (João 18.11). Ele compreendeu que aquela era uma provação que não poderia evitar. 

Pedro pensava que aquilo era inaceitável e recusou-se a tolerar algo que via como um fracasso. Preferiu sacar a espada que tinha camuflado habilmente e lutar contra os acusadores de Jesus. Atacar os atacantes. Cortar uma orelha. Ele estava disposto a tudo, menos a “beber o cálice”. 

Todos nós queremos usar nossas próprias “espadas” para repelir as investidas da vida.  Essas armas aparentemente protetoras, podem ter a forma de uma gorda conta bancária, cartões de crédito sem limite, uma grande poupança, um amigo rico a quem podemos recorrer nas crises, ou bens materiais que podemos facilmente vender em caso de necessidade. Mas será que elas são realmente eficientes ou apenas bengalas que retardam o processo inevitável de “beber o cálice”?  

Distinguir entre quando lutar e quando beber o cálice exige discernimento espiritual.  Cercado pela fúria, por soldados armados e violentos, Jesus viu para além do cerco que Lhe faziam. Entendeu que não era o momento de lutar, mas sim de aceitar a vontade de Deus, mesmo que isso significasse amargo sofrimento, dor e morte. Era necessário que Ele bebesse o cálice. Seu propósito era expiar o pecado da raça humana.

Essa não é apenas uma ilustração espiritual. Para cada um de nós que labuta no mundo empresarial e profissional, às vezes, o “cálice” é inevitável. Talvez você esteja vivendo um momento assim em sua vida atualmente. Pedem que você beba o cálice, mas você não gosta nem um pouco. Quem pode preferir o sofrimento e amargura ao invés do sucesso? 

Nessas circunstâncias, precisamos de sabedoria para entender o que está acontecendo ou vai acontecer. Mas as Escrituras nos oferecem conforto. O salmista Davi escreveu: “Pois a Sua ira só dura um instante, mas o Seu favor dura a vida toda; o choro pode persistir uma noite, mas de manhã irrompe a alegria” (Salmos 30.5). E no versículo 11, ele conclui:  “Mudaste o meu pranto em dança, a minha veste de lamento em veste de alegria.” Ele estava seguro de que Deus usa até mesmo os piores momentos para o bem.

Você passou por um período em que nada parecia funcionar, não importando o que tentasse, tudo dava errado? Como foi que você reagiu? Quero desafiá-lo a confiar que DEUS está com você em todas as circunstâncias e transformará seu pranto em dança!

Próxima semana tem mais!

Sergio Fortes é consultor em Liderança Estratégica e Gestão Logística, membro do CBMC BRASIL desde 1996 (fortes.sergio@gmail.com). Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de Juan Nieto .

Questões Para Reflexão ou Discussão

1. Quando foi a última vez em que você passou por um período em que nada parecia funcionar e, não importa o que tentasse, tudo dava errado?  Como você reagiu?

2. Você concorda com o autor que afirma haver estações inevitáveis na vida, tempos para alcançar sucesso e tempos para fracassar, tempos para avançar e tempos para parar, ou mesmo recuar?  Explique sua resposta.

3. O que você acha que Jesus Cristo quis dizer ao falar que precisava “beber o cálice” que Deus tinha Lhe dado? 4

4. O quanto a fé ajuda a suportar períodos em que tudo parece ir mal e não existe nenhuma evidência aparente de que as coisas mudarão em breve? 

Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Eclesiastes 3:1-15; Romanos 5:3-5; Hebreus 11.39-40; Tiago 11-28; 1Pedro 1.6-7.

MANÁ DA SEGUNDA é uma reflexão semanal do CBMC - Conectando Business e Mercado a Cristo, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. ®  © 2018 - DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL

 

 


Veja mais Maná da Segunda

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.