Maná da Segunda

Maná da Segunda: Reputação Corporativa



Por Rick Boxx

Boa reputação corporativa é crucial para o sucesso a longo prazo de um negócio. E, gostemos ou não, embora exija muito trabalho árduo estabelecer e manter um padrão favorável de respeito no mundo profissional e empresarial, boa reputação se destrói em curto espaço de tempo, freqüentemente para jamais ser reconquistada.



Em artigo do "Wall Street Journal" intitulado, “On Business Storm-Proofing”, (Negócios à Prova de Tempestades), Leslie Gaines-Ross, chefe da área de conhecimentos e pesquisa da Burson-Marsteller, firma mundial de consultoria em relações públicas e negócios, ressaltou a pesquisa que descobriu

os primeiros sinais de alerta, de negócios com reputação em risco. O estudo mostrou que sete condições estão sempre presentes em empresas com problemas:



1. Baixa disposição de ânimo dos empregados.

2. Políticas internas mais importantes que a qualidade do trabalho.

3. Executivos de nível mais elevado deixando a empresa.

4. Credibilidade do CEO substituída por sua notoriedade pública.

5. Empregados se referindo aos clientes como algo incômodo.

6. Empregados deixam de contar histórias positivas sobre a empresa.

7. Administração gasta mais tempo com questões internas do que externas à matriz corporativa.



Muitas vezes, a prosperidade de um negócio pode ser estimulada durante certo tempo, fazendo que as coisas pareçam extremamente positivas, antes que esses “avisos de tempestade” comecem a exercer impacto sobre as metas fiscais da companhia. Entretanto, deveria existir uma séria preocupação quando a maioria desses sintomas problemáticos se tornam evidentes, não importando qual o quadro financeiro do momento. Esse deveria ser um excelente momento para uma revisão, com ênfase especial no escrutínio minucioso da equipe de liderança.



O denominador comum na lista apresentada por Gaines-Ross parece ser “atitude”. No popular filme sobre esportes, “Remember the Titans”, há uma cena em que os líderes dos times trocam farpas verbais entre si. Quando o capitão de um dos times confronta o outro acerca de sua atitude, sua resposta é uma poderosa observação: “Atitude reflete liderança”.



Quando a liderança começa a concentrar o seu foco mais sobre a base de poder e o "status" de celebridade do que nas necessidades fundamentais de clientes e empregados, do tipo “eu primeiro”, pode rapidamente resultar em atitudes deficientes em toda a organização.



Provérbios 16.18-19 nos lembra: “O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda. Melhor é ter espírito humilde entre os oprimidos do que partilhar despojos com os orgulhosos”. Se sua organização está começando a apresentar algumas dessas sete características mortais, antes de mais nada, examine-se minuciosamente. Depois avalie seus líderes e tente determinar se a causa por trás do problema não é o orgulho. Se descobrir que sim, arrependa-se com humildade, determine-se a melhorar e comece a formular uma estratégia para que isso se torne realidade, para si mesmo e para sua empresa como um todo.



Próxima semana tem mais!


--------------------------------------------------------------------------------

Adaptado, sob permissão, de "Momentos de Integridade com Rick Boxx", um comentário semanal acerca de integridade no mundo dos negócios, a partir da perspectiva cristã. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes.


MANÁ DA SEGUNDA® é uma edição semanal do CBMC INTERNATIONAL, uma organização de âmbito mundial, não-denominacional, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial.
Veja mais Maná da Segunda

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.