Maná da Segunda

Maná da Segunda -> Ser Bom Sem Deus



Por Rick Boxx

Recentemente li um artigo na seção “Fé” do jornal local, onde uma ateísta descrevia sua jornada buscando ensinar seus filhos a serem “bons” sem fazer nenhuma referência à Bíblia. Ao explicar os princípios em que se baseavam seus ensinamentos, ela citou dois lemas: “Trate as pessoas da maneira como você gostaria de ser tratado” e “Faça o que é certo, mesmo quando ninguém estiver olhando”. Ela apenas esqueceu de mencionar – ou talvez nem mesmo soubesse – que esses dois princípios se originam na Bíblia. O primeiro é uma afirmação de Jesus em Mateus 7.12. O segundo, parte do chamado Sermão da Montanha apresentado em Mateus 6.1-4.



A autora continuou referindo-se a “ser bom” como se isso fosse um padrão, algo natural e automático, bastando apenas estar disposto a tentar. Jesus, entretanto, apontou a contradição dessa pressuposição em Mateus 19.16-17, quando um jovem rico perguntou-lhe: “Mestre, que farei de bom para ter a vida eterna?” Ele respondeu:“Há somente Um que é bom. Se você quer entrar na vida, obedeça aos mandamentos.”



Jesus estava ensinando àquele líder – provavelmente destacado homem de negócios ou empreendedor em sua cidade – que o bem, em última análise, flui do relacionamento com Deus e não meramente de aspirações nobres. O problema é que mesmo quando tentamos fazer coisas boas, não podemos estar certos quanto aos nossos motivos. A Bíblia declara: “O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” (Jeremias 17:9).



Por exemplo, você pode estar sempre cem por cento seguro, quando faz algum ato de gentileza para um cliente ou colega de trabalho, e que não está fazendo isso apenas para ganhar o favor deles? Ou, quem sabe, obrigá-los a, no futuro, agir de forma recíproca, retribuindo o ato que você praticou? O que você faz pode realmente ser uma coisa boa, mas as razões para fazê-lo podem ser porque também é bom para você.



Por isso o apóstolo Paulo escreveu: “Não há ninguém que faça o bem, não há nenhum sequer” (Romanos 3.12). Ele não estava dizendo que é impossível que realizemos coisas boas, mas sim que

nossos melhores esforços são contaminados pelo pecado, que a Bíblia define como rebelião contra Deus e persistência em agradarmos a nós mesmos e buscar nossos próprios interesses.



Há os que insistem em afirmar que a humanidade é essencialmente boa e que o mal é uma aberração no comportamento humano. Porém, se formos honestos, reconheceremos que geralmente, apesar de nossas melhores intenções, ainda tentamos fazer coisas que sabemos serem inaceitáveis ou fazer coisas boas por motivos errados.



Então quer dizer que fazer o bem, no trabalho, em casa ou na comunidade, é inútil? Claro que não! Simplesmente precisamos compreender a origem do bem. Jesus afirmou em João 15.5: “Sem Mim vocês não podem fazer coisa alguma.” Ele estava asseverando que o bem genuíno, incontaminado por motivos egoístas, somente pode ser feito por meio do poder de Deus operando em nossa vida e através dela.



Ser bom e fazer o bem é um padrão excelente e desejável para cada um de nós em nossos respectivos campos de trabalho, contanto que nos lembremos que a base para esse bem está ancorada nos mandamentos de Deus - mesmo que não o reconheçamos ou lhe dermos crédito por isso!

Próxima semana tem mais!


--------------------------------------------------------------------------------

Rick Boxx é presidente e fundador da "Integrity Resource Center", escritor internacionalmente reconhecido, conferencista, consultor empresarial, CPA, ex-executivo bancário e empresário. Adaptado, sob permissão, de "Momentos de Integridade com Rick Boxx", um comentário semanal acerca de integridade no mundo dos negócios, a partir da perspectiva cristã. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de J. Sergio Fortes


--------------------------------------------------------------------------------

Questões Para Reflexão ou Discussão

1. Que acha do conceito que a origem de todo o bem é Deus, quer nós reconheçamos isto ou não? Por que?


2. Você pode se lembrar de alguma ocasião em que alguém lhe fez algo bom e que, mais tarde, você descobriu que foi motivado pelo egoísmo?


3. Concorda que nossas melhores intenções são contaminadas pelo pecado - rebelião contra Deus - do mesmo modo que uma gota de veneno contamina toda a bebida?


4. Como o reconhecimento de que Deus é a Fonte de todo o bem pode ter efeito positivo na forma como desempenhamos nossas responsabilidades profissionais?



Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas com o tema, sugerimos: Isaías 64.4-7; Mateus 6.16-18; Romanos 7.14-25; Filipenses 4.13; Tito 3.5.


MANÁ DA SEGUNDA® é uma refelxão semanal do CBMC - Conecting Business and Marketplace to Christ, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2008 - DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL

Veja mais Maná da Segunda

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.