Reflexão

A Fé Começa em Casa – Nossas Heranças



Hoje estou deixando que vocês escolham entre o bem e o mal, entre a vida e a morte. (Deuteronômio 30:15)

É na família que nos desenvolvemos e recebemos nossa identidade como pessoa, recebemos orientações morais e espirituais, desenvolvemos nossa capacidade de nutrir relacionamentos e recebemos herança. A isto denominamos de cobertura familiar.

Ao nascermos numa família, recebemos nossa identidade física, ou seja, nome, sobrenome, um idioma, uma nacionalidade e um certo aspecto. Dizem que puxamos para o pai mas que somos bonitinhos que nem a mamãe.

A fonte de toda certeza é Deus, que é imutável, portanto, quanto mais próximos deles, mais sabemos quem somos e quanto mais distante mais perdidos ficamos.

A pessoa pode ter nascido numa família que cristã e busca servir a Cristo ou então numa casa em que são todos religiosos ou onde cada um é do seu jeito ou até mesmo ateus. De qualquer maneira, vai sendo formada a identidade espiritual do indivíduo baseado inicialmente nos seus relacionamentos familiares.

A cobertura familiar é muito importante para nós humanos, a ponto de que, quando falha, ficamos complexados. Pode ser complexo de inferioridade ou de superioridade, humildade ou orgulho, não importa, pois estes são apenas dois extremos da mesma régua.

A identidade é algo tão importante que o próprio Deus Pai confirmou a identidade de Deus Filho – Jesus Cristo logo após seu batismo dizendo: “Este é o meu Filho amado em quem me comprazo” Mateus 3:16¨. Observe que Deus disse que era Seu filho e estava alegre por ele.

Muitos pais nunca dizem aos seus filhos que os amam e muito menos que tem alegria no que fazem ou em como são – isto é a transmissão da identidade.

Logo após Deus Pai ter afirmado a identidade de Jesus como Seu filho, ele foi tentado por Satanás na sua identidade: “Se tu és o filho de Deus, então…” (Mateus 4:3,5). Nas duas primeiras tentações Satanás usa a mesma expressão e significa colocar em prova o que Deus Pai disse a Jesus, colocar em dúvida.

Nós em nada somos melhores do que Jesus e se este foi tentado na área da sua identidade, tenho certeza que você também já foi ou será tentado nesta área, escutando algo como:

— Se você é um bom pai/mãe, então…
— Se você é um bom marido/esposa, então…
— Se você é fiel, então…

Quando você tem convicção não precisa provar nada para ninguém, mas se está em dúvida se achará tentado em fazer algo para provar a todos e então cairá na tentação.

Na família desenvolvemos a confiança mútua o que nos dá a capacidade de iniciar e nutrir relacionamentos saudáveis. A base da confiança é a integridade, ou seja, ser o mesmo em qualquer situação, seja na frente das pessoas ou sozinho.

Se você anda com dificuldade em se realizar nos relacionamentos, procure observar sua relação com seus pais, pode ser que haja algum problema, e se houver, busque o conserto o quanto antes.

No ocidente leva-se pouco em consideração as gerações, ou seja, nossa descendência, da onde viemos e para onde vamos, mas a Bíblia valoriza a família, a coletividade e as gerações. Aqui o evangelho muitas vezes é precário por causa da quebra dos vínculos familiares, o que leva ao rompimento de relacionamentos, distanciamento e falta de apoio. Mas é certo que recebemos de nossos pais uma herança, seja esta ministerial, moral, emocional ou espiritual.

A herança financeira é fácil de compreender, pois ao morrer algum ente querido, este deixa todos os seus bens a quem fica e estes são repartidos entre eles.

A herança moral e comportamental é menos falada e observada, mas basta examinar os membros de uma família e veremos que se comportam de forma parecida. Escutamos coisas como:

— Ele fala igualzinho ao pai!
— Ela tem o mesmo jeitinho da mãe!

Isto quando não falam de comportamentos ruins que herdamos. Você precisa conhecer estes comportamentos e buscar de Deus a cura para aqueles que não são adequados.

Isto não significa que o vício do pai, por exemplo, possa ser pretexto para o filho. Pode haver influência, mas não é uma obrigação.

A herança espiritual se refere a quem somos em Deus. Quando Deus se apresentou a Moisés pela primeira vez, disse que era o Deus de seus pais, e que tinha amizade com Abraão, Isaque e Jacó. É por isto que a bíblia está repleta de bênçãos e maldições para as gerações futuras, segundo o nosso comportamento hoje.

Certamente, dons e vocação poderão ser liberados ou trancados através da herança que recebemos, mas está nas suas mãos escolher o caminho da vida e do bem.

“Senhor, quero neste momento renunciar a tudo que não provenha de Ti e manifesto a vontade de me submeter inteiramente à autoridade de Jesus Cristo em todas as áreas da minha vida. Escolho o caminho da vida e do bem assim como a boa herança. Senhor, religa-me contigo e com a minha família.”

Luis Antonio Luize



Uma Parceria Diária com Deus
Edificando o Povo de Deus pela Internet


Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.