Reflexão

Eis que ponho em Sião uma pedra angular...



EIS QUE PONHO EM SIÃO UMA PEDRA ANGULAR, ELEITA E PRECIOSA; E QUEM NELA CRER NÃO SERÁ, DE MODO ALGUM, ENVERGONHADO (1 PE 2:6).


O nascimento de Jesus não passou despercebido na história humana. Ele dividiu a história em antes e depois. O nascimento de Jesus causou apreensão, pois havia prenúncios proféticos sobre ele, prenúncios que não somente os israelitas dominavam e entendiam como também os romanos, sábios, e pesquisadores. O Evangelho de Mateus e Lucas cuidam em nos comunicar tais fatos. O Evangelho de Mateus fala de como o interesse político de um César, de um Herodes se abala a ponto de cometer o mesmo infanticídio que um Faraó cometera quando Moisés nasceu. Mateus registra o trabalho do incansável José que teve de peregrinar para evitar a morte de Jesus; mostra que desde o princípio do mundo, os poderosos, procuram abortar Jesus do seio da vida, da história.

Os Evangelhos também registram como uma falsa imaginação coletiva pode fazer uma geração errar o caminho da verdade. Os Israelitas esperavam um rei que os livraria do domínio Romano, que implantaria os dias áureos do reinado davídico, portanto aguardavam um rei glorioso, poderoso como Davi. Este “a priori” os impede de ver Jesus, o ungido (Cristo), enviado (Messias) de Deus. Um rei que nascesse numa estrebaria, pobre e humilde jamais poderia ser o enviado de Deus, segundo aquela geração.

Quando reflito o natal de Jesus penso na diferença que ele produz em nossa vida. Encontrar Jesus também representa termos um antes e um depois. Como a história humana, também a vida de cada pessoa nesta terra deve ter um antes e depois. Quem de fato encontrou Jesus em sua jornada, jamais é a mesma pessoa que foi. Jesus altera qualquer história, seja da sociedade ou da nossa vida particular. Onde Jesus ocupa lugar, a vida ganha outra dimensão, os céus descem à terra; Deus é entronizado na esfera da decisão da nossa vida, o poder apenas volta a ser dele; costumes e valores são alterados, a vida ganha sentido celeste e eterno.

Quando reflito o natal de Jesus também desejo que você não seja equivocado por falsas imaginações. Ao contrário, desejo que, em vez de você definir como deveria ser Jesus, deixe ele se revelar a você. Não deixe que o sistema de consumo, as muitas vozes, digam-lhe como celebrar Jesus na vida, mas que o Espírito de Deus, que outorgou aos profetas a mensagem, determine o que você deve de fato ouvir e viver em Jesus. Celebrar o natal pode ser um risco, como pode ser uma grande bênção, depende de quem você ouvir e por quem você se deixa determinar. Ouça o Evangelho e permita que a sua vida seja determinada por Deus em Jesus somente! Não aborte Jesus de sua vida, deixe-o nascer e viver para que a sua vida seja eterna!

Assim, feliz e abençoado Natal de Jesus em sua vida!

Pr.Edgar Leschewitz

Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.