Reflexão

Jesus Cristo, o Deus encarnado, cheio de Graça e Misericórdia



Deus se embalou em nossa própria pele humana. Ele aprendeu a andar, tropeçar, cair, chorou pedindo leite, transpirou sangue na noite, foi fustigado com um açoite, cuspido e maltratado; preso à cruz, morreu sussurrando perdão sobre todos nós.


O Deus que criou o cosmos, o universo, que fez pairar a terra sobre o nada (Jó 26:7) é o mesmo que se aproxima de você, com muito amor, sussurrando esperança; se tornou pessoal, desejável, íntimo, tocável e próximo (At 17:24-31; Rm 18-25;Sl 139). E que faz Saulo de Tarso dizer: “Nós somos loucos por Cristo” (1Co 4:10).

Os céticos têm dificuldade de compreender este mistério. Preferem crer num “panteísmo” (deus diluído espiritualmente nas coisas criadas) e num “animismo” (deus apenas como força vital dos seres).

Contudo, Brennan Manning, em seu livro, Evangelho Maltrapilho, diz: “Se o seu Deus é uma força cósmica e impessoal, sua religião será necessariamente evasiva e vaga. A imagem de Deus como um brutamonte onipotente que não tolera qualquer intervenção humana cria um estilo de vida rígido, governado por leis puritanas e dominadas pelo medo. Mas a confiança no Deus que ama de forma consistente produz fielmente discípulos livres e confiantes. Um Deus amoroso fomenta um povo amoroso. O fato de que nossa visão de Deus molda nossa vida em grande parte pode ser uma das razões pelas quais a Escritura atribui tanta importância a buscar conhecê-lo” (p.40).

Deus aniquilou a inteligência dos instruídos e sábios, dos céticos e questionadores de todos os tempos, diz Paulo, para que, na inversão de toda inteligência deste mundo, você fosse salvo pela loucura da pregação, e conhecesse Jesus, o crucificado e ressuscitado, como poder, sabedoria, justiça, santificação e libertação de Deus (Leia 1 Co 1:19-30).

Deus, em Jesus, nos diz que ele é dos autenticamente humildes. Sabe por quê? Porque o autêntico conhecimento da vida não está com os arrogantes e prepotentes, poderosos deste século, mas com os humildes. Se alguém deveria ser e continuar sendo arrogante, este deveria ser o apóstolo Paulo, com todas as suas insígnias, graduações e títulos galgados. Mas Paulo vem a dizer: “... não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus. (1 Co 1:26-29). Lance sobre Jesus a sua ansiedade e cuidado, humilhe-se debaixo da potente mão Deus. Construa sobre este fundamento de Deus, erga sua casa espiritual sobre ele, e seja constantemente visitado pela graça e misericórdia de Deus assim (1 Co 3:9-23).

Termino esta ponderação com Thomas Merton que diz:” Um santo não é alguém bom, mas alguém que experimenta a bondade de Deus”.

Meu abraço e muita graça de Deus para vida.


Pr .Edgar Leschewitz

Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.