Reflexão

Perseverança frente às promessas



Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande recompensa. Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. Porque, ainda dentro de pouco tempo, aquele que vem virá e não tardará; todavia, o meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma. Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma. (Hb 10:35-39).

Vivemos numa sociedade do “soft” e do “light”. A sociedade do sem “esforço”, robotização de qualquer processo. Conceitos que também têm influenciado a fé de muitos cristãos. Principalmente no âmbito das promessas bíblicas. Há uma verdadeira violência imperada à Bíblia. Manipuladores da fé, engendradores de coação psicológica de massas, que deturpam qualquer texto das Escrituras. Um exemplo disso é a assim conhecida “Teologia da Prosperidade” que tem ocupado a boca de muitos pregadores itinerantes, sem compromisso de “Corpo da Igreja de Jesus”, que se apresentam em “mega-shows” da fé, nas telinhas de nossa TV. Esta “Teologia” procura ensinar como alcançar as bênçãos de Deus, sem muito esforço, sem muito envolvimento, sem muito compromisso. E se alguém não obtiver a promessa é porque não tem fé. Dor, doença, pobreza, dificuldades, carência, diz tal “Teologia”, não faz parte do crente. Quando alguém não alcança a “bênção” que procura, que muitas vezes é a superação de uma dificuldade, logo é tido como indigente da fé. Ou, então é levado a fazer “apostas” dizimistas, ou seja, manipula-se a pessoa e a Deus forçando dar o “dízimo” e além do “dízimo” para ver se alcança a bênção. Assim se está produzindo muita angustia em vez de paz, no coração de muitos!

As Escrituras Sagradas jamais distribuem bênção sem projeto de vida. Deus compartilha a sua bênção para vida, quando somos participantes de sua vontade. A nossa vida, para isso, deve ser e estar dentro do projeto de Deus, no tempo e no espaço onde estamos, e o que estamos fazendo deve estar alocados nos propósitos de Deus. Ninguém alcança a promessa sem perseverança, sem compromisso, sem se sentir e viver nos braços de Deus, sem manter-se em comunhão constante de vida com Deus (Jo 15:1-27; 17:1-26). Quando se está nos braços de Deus, dor, necessidade, doença, não são sinônimos de falta de bênção (2 Co 12:1-10), mas oportunidade de crescer mais profundamente na presença do próprio Deus ( 2 Co 4:1-12). “É para isso que se diz”.. o meu justo viverá pela fé; e: Se retroceder, nele não se compraz a minha alma. ” Mesmo em meio a problemas e dificuldades, Deus nos quer ver andando com Ele, sem retrocedermos, sem vacilarmos. Perseverar com Deus, mesmo que nossos desejos não são respondidos, nos educa para uma viva esperança e certeza que tudo está em suas mãos (Rm 8:31-39). Lembro ainda o que Jesus disse, em Lc 17:5-9, ninguém pode vir a participar da plenitude de fé, sem que primeiro saiba servir ao próprio Deus. Ninguém pode se deliciar das bênçãos de Deus, sem que primeiro trabalhe no projeto de Deus. A Igreja de Jesus Cristo é o lugar onde você é convidado a exercitar e aprimorar, a servir com fé (Hb 10:22-25; Ef 4:1-16) ao Senhor e Eterno Deus, com perseverança, não retrocedendo. Por isso fique com a gente, na sombra do Galileu, em suas pisaduras, onde em todo instante somos sarados e transformados para o plano do Pai que está nos céus. Meu abraço em Cristo,

Pr. Edgar Leschewitz

Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.