Reflexão

Um de Nós - Vivendo o Evangelho



“Não é este o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, José, Judas e Simão? Não estão aqui conosco as suas irmãs? E ficavam escandalizados por causa dele.” (Marcos 6:3)

Eu já devo ter lido este texto umas 300 vezes, sei lá. Mas hoje me chamou a atenção algo que nunca tinha percebido - parece que o fato de Jesus ser “um de nós” era motivo suficiente para que Ele não pudesse realizar os milagres ou operar sinais maravilhosos. É escandaloso um de nós fazer algo extraordinário? Não consigo ver motivo para isso.

Se já era assim nos dias de Jesus em Israel, hoje talvez (provavelmente) ainda o seja. Parece que tendemos fortemente a não dar crédito para aqueles que estão mais próximos de nós, ou que conhecemos desde há muito tempo, ou que não são, digamos, “famosos”. Eu tenho participado de encontros e eventos cristãos ao longo de meus 30 anos de fé e posso afirmar com segurança e confiança - Deus fala poderosamente e age de maneira sobrenatural, porque Ele é Deus! Não importa se o pregador é um badalado ou desconhecido, um experiente ou novato, um bem preparado ou curioso. Tudo que é necessário é Deus falar, por meio de quem, realmente não parece fazer diferença.

Mas isso nos remete ao tema central: o evangelho verdadeiro não é um conjunto de regras, mas um estilo de vida. Uma vida que reflete o verdadeiro evangelho não necessariamente terá sucesso, reconhecimento, ou mesmo aceitação. Veja o texto que escolhemos, no qual Jesus em pessoa era motivo de escândalo por ser o “filho do seu José e da dona Maria”. Mas a pergunta central é: isso fez Dele menos? Menos qualquer coisa: menos Filho de Deus, menos Messias, menos profeta, menos Rei dos Reis, menos Mestre? NÃO. A opinião das pessoas pode nos afetar mas não muda quem somos de fato. Portanto, podemos decidir se agiremos pelo que somos, como Jesus fez, ou pelo que dizem que somos.

Costumo dizer que só importa o que o Senhor diz de mim e não o que as pessoas dizem, ainda que eu possa ouvir a voz da multidão para entender algo. Às vezes será a voz de Deus, às vezes, não. É importante e é bíblico ter bom testemunho, ter paz com todos, cair na simpatia do povo - mas isso não pode me limitar naquilo que Deus espera de mim.

Se talvez sua vida hoje seja limitada pelo conceito das pessoas a seu respeito, assim como a minha foi por muito tempo, talvez seja a hora de avaliar se o conceito de Deus a seu respeito não é mais elevado. Isso talvez desentoque alguns profetas de suas grutas ou faça com que alguns grandes homens e mulheres de Deus se manifestem como tal. O verdadeiro evangelho é de liberdade e não de limitações, é ir além de si mesmo e não aquém.

Em um conjunto de regras é simples, basta olhar a regra e ver como se aplica. No Reino de Deus é necessário entender a vontade do Rei Soberano e cumpri-la, ainda que as vezes isso nos exponha à opinião pública de modo desfavorável. Sejamos nós mesmos, mas façamos o que Deus espera de nós.

“Senhor, não posso permitir que minha fama ou meu histórico limite meu serviço a Ti neste mundo. Me ensina e me fortalece para que eu cumpra Teu propósito para a minha vida, independentemente de quem eu fui até então.“

Mário Fernandez
Pr Mário Fernandez vive em Curitiba desde 1994, onde desempenha seu ministério local com ensino, liderando células, discipulando homens e ministrando a Palavra.

ICHTUS

 

 


Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.