Educação

1,4 milhão de alunos voltam às aulas nas escolas públicas
08-02-2006 19:37

Cerca de 1,4 milhão de alunos do ensino fundamental e médio volta a ocupar as carteiras das 2.100 escolas públicas da rede estadual, nesta quinta-feira (09). Eles encontrarão muitas novidades neste ano letivo, como livros didáticos gratuitos, laboratórios de informática, livros de literatura brasileira e universal e livros da Biblioteca do Professor. Também contarão com órgãos colegiados revitalizados (grêmios estudantis, conselhos escolares, APMFs), um canal de televisão pública específico para a Educação e Salas de Multiusos (com televisores e aparelhos de vídeo e DVD).

Segundo o secretário da Educação, Mauricio Requião, o Governo do Estado não tem medido esforços para que a educação pública do Paraná fique cada dia melhor. “Desde 2003 estamos investindo na melhoria da estrutura das escolas. Até o momento, R$ 176 milhões foram utilizados para a construção de 73 escolas novas, ampliações, reparos e melhorias nas demais. Outros R$ 170 milhões foram investidos em mobiliário, merenda e fundo rotativo, ou seja, um investimento na ordem de R$ 346,6 milhões em três anos”, explica.

Qualidade – O Paraná também investiu pesado na capacitação dos professores. O Programa de Capacitação Continuada contribui para a melhoria do ensino e se constitui hoje no maior programa de formação continuada do país. Foram investidos, desde 2003, mais de R$ 30 milhões na formação profissional dos profissionais da Educação, incluindo os funcionários de nível médio.

Segundo Maurício Requião os resultados dos investimentos em capacitação realizados pelo Governo do Estado já podem ser percebidos no resultado do último vestibular da Universidade Federal do Paraná. Dos aprovados, 52% passaram pelo ensino público, sendo que 39% fizeram o ensino médio integralmente em escolas do estado. Esses números superam em muito as vagas reservadas para as cotas sociais. Há alguns anos, o percentual de aprovados advindos do ensino público não chegava a 30%.

O mesmo se confirmou no vestibular da Universidade Estadual de Londrina. Na instituição, 49,92% do total de aprovados cursaram integralmente o ensino médio em escolas públicas, contra apenas 40% dos alunos que estudaram somente nas escolas privadas. Em 2001, os alunos da rede pública alcançavam apenas 34% das vagas.

Preparação – O diretor do Colégio Estadual Engenheiro José Farias Saldanha, em Munhoz de Mello (região de Maringá), José Carlos Menegasse, está tranqüilo com a volta das aulas, pois “os professores novos já são velhos conhecidos da comunidade”. “Os professores e funcionários participaram da jornada pedagógica antes do início das aulas. Os estudos fizeram uma reflexão, utilizando textos de Paulo Freire, da atual realidade dentro do nosso colégio”, avalia. O diretor destaca, ainda, que todos estão tranqüilos quanto à adaptação dos alunos e professores no colégio. “Fizemos melhorias na escola. Nossos alunos serão muito bem acolhidos, tanto no aspecto físico quanto pedagógico”, enfatiza.

Livros gratuitos – Os alunos do ensino médio terão livros didáticos de todas as matérias pela primeira vez na história do Estado. Os de Língua Portuguesa e Matemática já estão nas escolas e os conteúdos dos livros públicos das demais matérias estão disponíveis na internet (no endereço eletrônico www.diaadiaeducacao.pr.gov.br ) e estarão de posse dos alunos até o início do segundo semestre.

O Livro Didático Público é um projeto iniciado em julho de 2005, elaborado por professores da rede estadual de educação e encontra-se atualmente na fase de edição. Os alunos que freqüentarão o ensino fundamental já estão com os livros didáticos nas escolas.

A professora Cristina Iubel, que leciona no Colégio Estadual Mahatma Gandi, em Guarapuava, conta que está na rede estadual de Educação há 20 anos e que está muito empolgada com o material didático que será distribuído aos alunos. “Espero que este ano seja muito melhor, pois a qualidade do livro didático público é muito boa e também é uma novidade tanto para os alunos e quanto para os professores”, enaltece.

Bibliotecas – Já os livros de Literatura Brasileira e Universal, que compõem o Biblioteca Literária do Aluno, foram entregues às escolas em duas remessas, tendo acontecido a segunda em novembro do ano passado. O que garantiu um reforço de 267 títulos a todas as bibliotecas das escolas, ou seja, um investimento de aproximadamente R$8,4 milhões.

Neste ano ainda, em junho, haverá a entrega de 257 títulos que compõem a Biblioteca do Professor, sendo 207 livros de ensino médio e 50 para o ensino profissionalizante. Os livros têm como finalidade fornecer material de fundamentação teórica aos professores.

Laboratórios – Todas as escolas públicas do Estado contarão com laboratórios de informática ligados à internet de alta velocidade até o final de 2006. O programa Paraná Digital é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Educação e Copel que levará aos colégios laboratórios de informática multi-terminal, que é uma tecnologia desenvolvida pela Universidade Federal do Paraná que possibilita a utilização de quatro pessoas diferentes e simultaneamente em um mesmo computador.

As escolas terão profissionais habilitados que realizarão atividades de apoio nos laboratórios de Física e Química. No último concurso realizado pela SEED em 2005, além das 7.629 vagas para funcionários administrativos das escolas, foram integrados ao Quadro Próprio do Estado 414 assistentes de execução que irão auxiliar nos trabalhos desenvolvidos nos laboratórios.

Televisão para a Educação – A Secretaria de Educação deve estrear este ano a TV Escola do Paraná, o primeiro canal público de televisão específico para a Educação, uma importante e moderna ferramenta a serviço da qualidade no ensino público. Os equipamentos já estão sendo comprados e as equipes técnicas e de produção estão sendo treinadas. Os próprios técnicos e professores estaduais já estão elaborando os conteúdos que serão levados ao ar pelo canal.

Capacitação é investimento na qualidade do ensino

As capacitações para todos os profissionais de educação (professores e funcionários) começaram, neste ano, dia 6 de fevereiro com a reunião de “Estudos para organização do trabalho pedagógico da escola”. Esse evento abrangeu todas as escolas públicas do Estado. “É uma preparação para que esses profissionais façam o Projeto Político Pedagógico (PPP) anual de cada instituição de ensino. Por isso, foi importante que cada um tenha realizado o curso na própria escola em que trabalhará durante o ano, pois a Secretaria dá o embasamento desse curso, mas a pedagogia utilizada depende da realidade de cada estabelecimento”, explica a coordenadora das capacitações dos profissionais da educação da Secretaria, Arilete Regina Cytrynski.

Segundo Arilete, haverá várias atividades durante o ano, tais como simpósios, grupos de estudo, jornadas pedagógicas além de cursos específicos por área de atuação. “A Secretaria da Educação tem o objetivo de capacitá-los não apenas para a implantação da nova proposta curricular, mas, principalmente, para incentivar o professor a atuar como pesquisador, pois ele deve estar sempre estudando para dar o melhor de si aos alunos paranaenses”, afirmou Arilete.

Comunidade escolar – Para a professora de Português, Elizete Miot, o fato de professores e alunos estarem participando da elaboração do PPP, de suas escolas é muito importante. “A abertura que tem esse projeto é vital para que toda a comunidade escolar possa integrar. Porque não é só o professor que educa. Isso estava faltando. Agora somos estimulados a realizar grupos de estudos e isso tudo rende bons resultados aos alunos”, avalia.

José Wilson Cardoso, professor de Matemática diz que todos o trabalho que vise uma melhoria na qualidade do Ensino Público é muito válido. “Como professor de matemática, gosto de coisas muito práticas. E percebo que nos 22 grupos que estão debatendo o PPP, durante a Semana Pedagógica, são compostos por todos que fazem parte da escola. Todos estão contribuindo muito e bastante satisfeitos, pois tanto a responsabilidade como os bons resultados positivos passam a ser compartilhados”, destaca.

Mais de 56 mil professores estatutários

O início do ano letivo de 2006 na rede pública estadual terá, a postos, em 2.100 escolas, 56.082 professores efetivos. Esse é o maior número de professores da história da Educação no Paraná, todos eles estatutários, aprovados em concursos públicos. “É uma conquista da Educação do Paraná, construída nos últimos três anos mediante muito esforço e determinação política”, aponta o secretário da Educação, Mauricio Requião.

Em janeiro de 2003, quando a atual administração assumiu, os professores da rede pública estadual somavam 52 mil. Cerca de 40% deles – exatos 21.331 –, porém, tinham vínculos precários ou irregulares de emprego. Desde então, o Governo do Estado promoveu dois grandes concursos públicos, com um total de 34 mil vagas. Com a nomeação dos novos estatutários em substituição aos precários, e a aprovação do Plano de Cargos, Carreira e Salários em 2004, o Governo promoveu o maior programa de regularização do magistério no país.

Todos os aprovados para as 24.125 vagas abertas no concurso de 2003 (16.621 vagas originais e mais 7.504, autorizadas posteriormente), já foram nomeados. E as vagas ainda remanescentes do concurso de 2004, de um total de 9.943, serão ocupadas, impreterivelmente, até junho deste ano. No dia 25 de janeiro último, foram nomeados mais 407 professores, que já assumiram seus cargos. Resta nomear, nos próximos meses, outros 1.200 professores de educação especial.

Avanços salariais – Em três anos, a folha de pagamento da Secretaria da Educação acresceu em 52,96%. Em boa parte, esse acréscimo deve-se ao aumento real dos professores, numa média de 33% em 2004, com a implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários. “O aumento progressivo da folha reflete o empenho do governo em cumprir as reivindicações históricas do magistério”, afirma o secretário da Educação, Maurício Requião.

Outro concurso realizado pelo Governo na área da Educação (em 2005), foi responsável pela integração ao Quadro Próprio do Estado de 7.504 funcionários administrativos e assistentes de execução. Outros 539 funcionários aprovados no concurso serão nomeados tão logo completem os exames pré-adminissionais requeridos.

Haverá um novo concurso neste ano, desta vez para auxiliar de serviços gerais das escolas, no qual estão previstas 11.800 vagas. Este concurso será realizado ainda neste primeiro semestre. Com isso, a atual administração completa o programa de realização de concursos públicos para o pessoal de todos os níveis empregados na Secretaria da Educação: professores – incluindo ensino especial e profissionalizante –, pedagogos, técnicos administrativos e auxiliares de serviços gerais.

Foto: José Adair Gomercindo-SECS
AEN
GUIASJP - Um serviço POW Internet
POW INTERNET
<

Nenhum item encontrado