Maná da Segunda

Maná da Segunda - Compaixão



Por Austin Pryor

Com o Natal se aproximando, igrejas e organizações cristãs de beneficência nos estimulam a ter um espírito caridoso e doador em relação aos mais necessitados. Isso é bom. Mas entendo que devemos ser cuidadosos para que a medida da nossa compaixão não seja nem excessiva, nem muito estreita. 

Como ela pode ser excessiva? Muitos usam a parábola de Jesus em Mateus 25 como base para exortar a que cuidemos dos oprimidos da sociedade. Contudo, tomando o texto que se inicia no versículo 37, lemos (ênfase adicionada): “Então os justos Lhe responderão: ‘Senhor, quando Te vimos com fome e Te demos de comer, ou com sede e Te demos de beber? Quando Te vimos como estrangeiro e Te acolhemos, ou necessitado de roupas e Te vestimos? Quando Te vimos enfermo ou preso e fomos Te visitar?’ O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos Meus pequeninos irmãos, a Mim o fizeram’”.

Interpretar essa parábola como se referindo a todos os pobres do mundo é estendê-la de modo impróprio para muito além de sua finalidade. Em todo o Novo Testamento a palavra “irmãos” é primariamente usada para referir-se aos cristãos. O seu uso secundário refere-se aos compatriotas judeus. Em nenhum lugar eu a encontrei sendo usada para referir-se à humanidade de modo geral. Considere também: 

Mateus havia anteriormente ensinado quem eram os “irmãos” de Jesus. “Tua mãe e Teus irmãos estão lá fora e querem falar contigo. Quem é Minha mãe e quem são Meus irmãos? - perguntou Ele. E, estendendo a mão para os discípulos, disse: Aqui estão Minha mãe e Meus irmãos! Pois quem faz a vontade de Meu Pai que está nos céus, este é Meu irmão, Minha irmã e Minha mãe” (Mateus 12:47-50).

O apóstolo Paulo tinha uma visão similar acerca dos filhos de Deus e os irmãos de Jesus: “Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Pois vocês não receberam um espírito que os escravize para novamente temerem, mas receberam o Espírito que os adota como filhos... Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de Seu Filho, a fim de que Ele seja o primogênito entre muitos irmãos”  (Romanos 8:14-29).

Existem muitos versículos que dizem especificamente para darmos a maior prioridade para as necessidades dos crentes em Cristo ante aquelas da sociedade em geral. Entre outros, estão: "Dediquem-se uns aos outros com amor fraternal...Compartilhem o que vocês tem com os santos em suas necessidades."(Romanos 12:10-13). "Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disse: 'Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se', sem porém lhe dar nada, de que adianta isso? Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta" (Tiago 2:15-17).

Será que estou dizendo que não devemos prestar assistência aos pobres que não compartilham nossa fé? É claro que não. Na verdade, argumento para demonstrarmos mais compaixão por eles, não menos.  Entretanto, embora nossa benevolência inclua necessidades materiais, ela deve ser amorosamente acompanhada pela mensagem do evangelho. Será que não deveríamos prover para as pessoas que não conhecem Cristo o alimento para suas almas eternas, bem como para seus corpos terrenos que são, afinal de contas, apenas temporais? 

"Então Jesus declarou: ‘Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a Mim nunca terá fome... Eu sou o pão vivo que desceu do céu. Se alguém comer deste pão, viverá para sempre” (João 6:35, 51).   

Próxima semana tem mais!

Austin Pryor tem 36 anos de experiência aconselhando investidores e é o fundador da revista mensal "Sound Mind Investing", especializada na diversificação de investimentos segundo princípios bíblicos. Tradução de Mércia Padovani. Revisão e adaptação de Sergio Fortes.

Perguntas para Reflexão ou Discussão  

1. As festas natalinas tornam você mais sensível para com aqueles à sua volta que têm necessidades importantes? Como você responde a essas necessidades?

2. O que você acha da admoestação do autor, que em resposta a pedidos caritativos, não doemos nem de forma excessiva, nem de forma estreita?

3. O que você acha que significam os termos “irmãos e irmãs” na Bíblia?

4. Por que você acha que é importante levar as Boas Novas de Jesus Cristo às pessoas fora da família de Deus, bem como buscar satisfazer suas necessidades físicas? 

Desejando considerar outras passagens da Bíblia relacionadas ao tema, sugerimos: Provérbios 3:27-28; 11:24-25; João 4:10-13; 2Coríntios 9:6-14; Hebreus 2:10-11. 

MANÁ DA SEGUNDA® é uma reflexão semanal do CBMC - Conectando Business e Mercado a Cristo, organização mundial, sem fins lucrativos e vínculo religioso, fundada em 1930, com o propósito de compartilhar o Evangelho de Jesus Cristo com a comunidade profissional e empresarial. © 2008 - DIREITOS RESERVADOS PARA CBMC BRASIL

 


Veja mais Maná da Segunda

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.