Reflexão

Ao anjo da igreja (...) escreve: (Ap. 2 e 3)



O Apóstolo João é convidado a escrever da parte de Jesus uma mensagem específica ao anjo (mensageiro) de cada igreja. Antes da redação de cada carta, João tem uma visão de Jesus, visão que se mescla e dá sentido a cada igreja na história. Visão que postula ajudar cada igreja despertar quer no erro para o arrependimento, quer no problema para o despertamento. A visão ensina que Jesus está no meio das igrejas, que cada igreja tem seu papel, seu louvor, que não existe igreja sem problemas, que Jesus conhece todas, tem uma total radiografia delas. Para o Apocalipse, só quem de fato conhece todas as coisas ( seus olhos como chama de fogo – Ap 1:14) tem condição de prescrever o real curso e propósito da igreja, ou seja, o próprio Jesus, Senhor da Igreja.
O Apocalipse ensina como tratar de problemas na igreja. Interessante o que o Apocalipse NÃO ensina. Ele não ensina fazer uma assembléia, uma reunião, um concílio, um ajuntamento coletivo de seus membros para definir “que igreja desejamos ser”. A verdade não está na multidão, como Pilatos pensou, mas nAquele que é o caminho, a verdade e a vida (Jo 14:6). No Apocalipse não existe “Voz do Povo”, mas apenas a voz dAquele “... voz, como de muitas águas” (Ap 1:15;14:2). E que também diz à igreja: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele, comigo.”(Ap 3:20). Postula: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus”(Mt 4:23). É preciso ouvira a voz de Jesus, abrir a porta, convidar Jesus a entrar, sentar e cear com Ele. Quando a igreja entende isto, ela se humilha, desperta e se organiza; e então proclama verdadeiramente a voz de Jesus no horizonte da história humana.
Temos que perceber como a filosofia republicana tem cuidado e determinado a vida da igreja: a vontade do povo, de líderes politicamente organizados, como condicionante da verdade e do destino da vida da igreja. É preciso voltar a ouvir Jesus, à maneira de como Apocalipse ensina. É preciso voltar à autoridade de Jesus, onde todos, líderes e membros da igreja, se vislumbrem como servos dEste que está assentado sobre um alto e sublime trono ;que reina pelos séculos dos séculos; a quem foi conferida toda autoridade; a quem devemos prestar contas de nossas vidas (Ap 5:13; Rm 14:12;1Pe 4:5).
Estamos correndo o risco de nos embrutecer com os muitos propósitos e interesses humanos a ponto de perder de vista o próprio Senhor Jesus, e seu Evangelho redentor, caso não ouvirmos a voz de Jesus em nossas vidas e na vida da igreja. Quando a igreja ouve Jesus, esta se salva, esta se ilumina, se arrepende, desperta, ganha solidez na história e horizonte de esperança eterna.

Portanto, ouçamos a voz de Jesus, seu Evangelho; obedientemente deixemos que Ele nos surpreenda diante de qualquer situação que estejamos vivendo! (Jo 14;21-23).

Pr.Edgar Leschewitz

Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.