Reflexão

Novidade de Vida – Julgamento



Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração. (Hebreus 4:12-13)

Este versículo é muito conhecido e tem falado aos corações do povo de Deus por séculos. Talvez (não quero exagerar) eu em 100% das vezes ouvi esta citação falando sobre a Palavra de Deus. Levou-me o Senhor a meditar em outro aspecto.

Tenho convivido nos últimos anos com algumas pessoas que, falando pelo natural, eu preferia não ter nem conhecido. Não quero escandalizar ninguém nem parecer insensível a um mundo perdido e gente pecadora, mas algumas figuras são intoleráveis. Caráter completamente podre, picaretagem descontrolada, adultério como estilo de vida, mentira como prática constante, arrogância como marca registrada, abusos desmedidos, avareza extrema. Mas quem sou eu para julgá-los? Estou pecando.

Quem julga os pensamentos e intenções do coração? Sou eu por acaso um tipo de procurador da Palavra de Deus para assumir este julgamento? Misericórdia. Quero ser mais útil para Deus do que para mim mesmo.

Ao me deparar com este dilema moral, fico a pensar quantas vezes eu devo ter me colocado no papel de um deus matusquela, desqualificado e sem a menor condição de reinar. Devo ter emitido algum juízo correto, em meio a tantos equívocos. Na prática, isso me levou a um certo deserto. O deserto de não ganhar todas as almas que poderia, pois as que aparecem diante de mim são julgadas em vez de serem amadas. O deserto de perder oportunidades espirituais e receptividade das pessoas, apenas por que eu as evito e julgo em vez de amar e ajudar. O deserto de carregar um peso para o qual não fui chamado e, portanto, não fui capacitado e equipado para carregar.

Neste momento busco em meu coração uma forma prática, simples e direta de reverter este quadro. Preciso urgentemente de um meio de mudar meu coração de tal modo que a Palavra de Deus passe a ser em mim, interiormente, algo superior à minha opinião e vontade. Ela separa alma e espírito e, portanto, é ela que vai separar o natural (alma) do sobrenatural (espírito).

Novidade de vida é viver em busca de uma vida que agrade mais a Deus hoje do que agradou ontem, o que certamente implica mudar de atitude diante da Palavra de Deus. Pela Palavra de Deus eu posso discernir as coisas, portanto devo admitir que preciso dela mais do que pensava. Dependo dela de forma mais prática do que imaginava. Devo ser mudado por ela mais do que admito.

O desafio imediato consiste em parar de julgar e começar a aprender com Deus pela Sua Palavra. Falar que ela é minha única fonte e regra é uma coisa, viver assim é bem outra. Se queremos levar Deus a sério, precisamos levar Sua Palavra a sério.

Senhor, me perdoe pela arrogância de colocar Tua Palavra abaixo da minha opinião e dos meus desejos. Muda minha disposição para que eu seja mais conforme os Teus padrões.


Mário Fernandez
ICHTUS – Uma Parceria Diária com Deus
Edificando o Povo de Deus pela Internet


Veja mais Reflexão

Um serviço: Logo POW Internet

"Graça seja convosco, e paz, da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo." 1CO 1:3

O sangue de Jesus Cristo, filho do Deus vivo, te purifica de todos os pecados.